LSD e ecstasy na mira da Polícia Civil


Ações de combate ao tráfico de drogas sintéticas resultaram em 5.002 entorpecentes a mais tirados das ruas comparado a igual período de 2015 (Foto: Thiago Gadelha/Diário do Nordeste)


A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) divulgou que até outubro deste ano foram apreendidos 7.094 unidades de drogas sintéticas (LSD e ecstasy) em 2016. As ações da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) da Polícia Civil recolheram 5.002 entorpecentes a mais se comparado a igual período do ano passado, quando um total de 2.092 unidades foram localizadas.

Por meio da assessoria de comunicação, a SSPDS informou que o trabalho entre as forças de segurança do Estado para combater o tráfico de drogas, ocorre especificamente por meio do trabalho de investigação feito pela DCTD, mas também por intermédio das ações preventivas das Polícias Civil e Militar, com abordagens policiais diárias.

De janeiro a outubro deste ano, a SSPDS registrou 4.462 autos de prisão e de apreensão em flagrantes por Tráfico de Drogas, segundo Lei 11.343. Os dados do ano passado, não foram informados.

Redução

A Pasta não explicou os motivos da redução na apreensão das drogas convencionais como maconha, cocaína e crack, mas destacou o crescimento da retirada das ruas de drogas sintéticas como LSD e ecstasy. "A maioria das apreensões de entorpecentes é realizada, por meio do trabalho ostensivo de abordagens, efetuadas pelas Polícias Militar e Civil, a usuários e pessoas que fazem entregas de pequenas quantidades de drogas (conhecidos como aviões). Além disso, existe um trabalho direcionado e investigativo a cargo da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) da Polícia Civil, que resulta na maioria das apreensões em grandes quantidades. Por se tratar de um trabalho de apurações e levantamentos minuciosos, as operações da DCTD demandam um maior tempo para apresentar os resultados, que podem variar ao longo do ano", disse a Secretaria da Segurança.

Uma das maiores apreensões de entorpecentes no ano de 2016 apresentou também a presença de uma nova droga sintética no Estado. Em julho, a Polícia Civil prendeu sete pessoas e apreendeu 75 quilos de drogas, durante uma operação denominada ´Ponto de Impacto´.

Entre o material ilícito apreendido estava a metilona, uma droga similar ao metilenodioximetanfetamina (MDMA), que possui o mesmo princípio ativo do ecstasy. Na investigação, a Polícia descobriu que o efeito da substância é mais devastador que os demais.

"A metilona foi apreendida no Brasil pela primeira vez em 2012, em São Paulo. Porém, somente em 2014 entrou na lista da Anvisa como droga ilícita. Esta é a primeira vez que a apreendemos no Ceará. É uma droga muito forte. Um de nossos policiais, fazendo o manuseio da droga, teve vertigens e passou mal", afirmou a delegada da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), Patrícia Bezerra.

A nova droga estaria sendo importada da China, em pequenas porções, escondidas em outros produtos. A substância é vendida por cerca de R$ 150,00 o grama, em festas rave.

Fonte: Diário do Nordeste

Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário