O desespero do homem do campo em busca de água na Região do Cariri

O fantasma da seca volta a rondar as casas dos sertanejos.  Aves de rapina sobrevoam a terra árida a procura de alimentos, concorrendo com o próprio homem na eterna luta pela sobrevivência. O Carcará, símbolo amargo e cru do Nordeste, solta o seu grito de desespero nas  quebradas do sertão.

O homem procura nas entranhas da terra as últimas gotas d’água para matar a sede. Mulheres grávidas e desnutrias percorrem as estradas poeirentas com latas d’água na cabeça. É triste ver a batalha do homem a procura de água, enquanto o dinheiro do projeto da transposição (do Rio São Francisco) desaparece no ralo da corrupção.

A água é muito mais do que uma simples necessidade humana básica. É um elemento essencial e insubstituível para assegurar a continuação da vida. Está intrinsecamente unida aos direitos fundamentais do homem, como o direito à vida, à alimentação e à saúde.

É triste, muito triste, testemunhar uma cena que se repete há séculos, alimentada pela demagogia politica.

E assim o Nordeste vai caminhando vagarosamente, atormentado pelo canto melancólico e agourento da acauã ecoa na caatinga enchendo de tristeza os lares sertanejos.

Fonte:Miseria.com.br
Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário