Exclusivo: Construção Civil é campeã de demissões entre janeiro e agosto em Juazeiro do Norte


Construção Civil é campeão de demissões entre janeiro e agosto em Juazeiro do Norte (Foto: Normando Sóracles/Agência Miséria)


Construção Civil é o setor que mais demitiu em Juazeiro entre janeiro e agosto de 2017.Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), e foram buscados pela redação do Site Miséria para ilustrar o atual quadro do mercado de trabalho juazeirense.

Em oito meses, 22.116 pessoas foram dispensadas dos postos de trabalho em sete setores, enquanto apenas 19,042 tiveram a chance de começar a trabalhar. 

O levantamento mostra ainda como se deu a relação entre emprego e desemprego em outros setores, e aponta que em diversos seguimentos há maior número de desligamentos de funcionários do que novas contratações. 

NÚMEROS

O setor da construção civil, entre os especificados, foi o que mais fechou portas entre janeiro e agosto. Foram 1.392 demissões frente à 757 novas vagas, obtendo um saldo de -635 admissões nos 420 estabelecimentos do ramo em toda a cidade. O comércio também apresenta saldo negativo; 2.844 admissões e 3.068 demissões, com saldo final de -224 vagas. São 3.892 estabelecimentos comerciais em Juazeiro do Norte. 

Em terceiro lugar, o setor da Indústria de Transformação, que contratou 2.350 pessoas e demitiu 2.911, obtendo saldo de -56 empregos nos 1.086 estabelecimentos do ramo. O número de dispensas em contratações no setor de Serviços foi negativo, porém manteve-se equilibrado, com 26 vagas a menos (3.614 novas e 3.640 postos de trabalho fechado. Juazeiro mantém 2.957 instituições do ramo. 

Agropecuária, Extração Vegetal, Caça e Pesca também apresentou baixa no indicativo, sendo 23 contratações e 33 desligamentos em 31 estabelecimentos.  Serviços Industriais de Utilidade Pública, único índice positivo nesta amostragem, gerou 39 postos de trabalho: admitindo 53 e despedindo apenas 14 pessoas (são 19 estabelecimentos neste setor). 

Há também o seguimento não especificado ou ignorado, classificado como "outro" na listagem. Neste, houveram 9.401 contratos e 11.058 demissões (saldo de -1.417). No ramo estão cadastrados 8.426 estabelecimentos.


Por Felipe Azevedo/Agência Miséria
Miséria.com.br
Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário