Enquete mostra em qual lado estão os leitores no caso da "cura gay"


Enquete mostra em qual lado estão os leitores no caso da "cura gay" (Foto: Reprodução/Internet)

A grande polêmica esta semana no Brasil girou em torno da "cura gay", um termo curioso que voltou aos assuntos mais comentados após uma decisão liminar tomada pelo juiz federal Waldemar Cláudio de Carvalho. O magistrado do Distrito Federal concedeu permissão para que Psicólogos possam tratar pessoas para "reverter a sexualidade".

A decisão ocorreu após um pedido de um grupo de Psicólogos, em uma ação popular, mas vai contra o que defende o Conselho Nacional de Psicologia, que irá recorrer da decisão. Perguntamos aos leitores, em mais uma enquete, o que eles pensam sobre o assunto. 

Em uma votação participativa e dividida, a maioria dos internautas não concorda com o que disse o magistrado; 57,69% não acha que sexualidade é caso de saúde e, portanto, não necessita de tratamento. Por outro lado, 42,31% acreditam que acompanhamento psicológico é capaz de reverter a orientação sexual do indivíduo. 

Há um paradoxo na decisão do juiz, já que ela não trata a homossexualidade como doença, mas abre "brechas" para que seja tratada como tal. Em maio de 1990, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu que homossexualidade não é doença, e excluiu a orientação sexual da lista de doenças mentais do Código Internacional de Doenças.



Por Felipe Azevedo/Agência Miséria
Miséria.com.br

Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário