Saques do FGTS injetam R$ 577,8 milhões na economia do Ceará



Os saques das contas inativas foram iniciados no dia 10 de março deste ano foram encerrados no último dia 31 de julho (Foto: Reprodução)

Os saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) injetaram R$ 577,8 milhões na economia cearense. O valor corresponde ao montante total que foi sacado por 523.379 trabalhadores no Estado, dos 533.822 que tinham direito ao benefício. A informação foi divulgada hoje pela Caixa Econômica Federal. Os saques das contas inativas foram iniciados no dia 10 de março deste ano foram encerrados no último dia 31 de julho.
 
Em todo o País, os brasileiros sacaram R$ 44,032 bilhões das contas inativas do FGTS. O valor injetado na economia acabou sendo maior do que a estimativa inicial da própria instituição financeira, que informou inicialmente que R$ 43,6 bilhões estavam disponíveis para saque, mas o montante foi atualizado para R$ 49,8 bilhões. O total sacado, portanto, foi 88% do disponível.
 
O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, explicou que o valor disponível para saque subiu graças à atualização das contas com a apresentação de documentos pelos trabalhadores. Isso adicionou R$ 4,95 bilhões disponíveis para saque com a inclusão de 2,48 milhões de contas que estavam "ativas" no sistema, mas que, na verdade, eram "inativas" e a apresentação dos documentos permitiu a regularização da situação dessa conta.
 
Segundo o banco, 25,910 milhões de trabalhadores com direito a saque retiraram os recursos disponíveis. O universo equivale a 79% dos titulares das contas inativas.
 
Prorrogação
 
Occhi também afirmou que "não há possibilidade" de prorrogação do período de saque das contas inativas do FGTS. "Não haverá prorrogação. Acreditamos que o governo já fez um grande gesto", disse Occhi. "Foi uma grande medida do governo federal", completou. Segundo a Caixa, há 6,79 milhões de contas com R$ 5,85 bilhões a sacar. 
 
O presidente da Caixa comentou que apenas alguns casos poderão sacar os recursos até 31 de dezembro de 2018: trabalhadores com doença grave ou que estão ou estavam presos no período normal de saque que terminou em julho. Nesses casos, é preciso levar documentação que comprove a situação à Caixa para a retirada de recursos.

Fonte: Diário do Nordeste

Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário