Lendas do Jiu-Jítsu se reúnem para reinauguração de academia


Feras do jiu-jiotsu na inauguração do novo tatame (Foto: Reprodução/Terra)

A última terça-feira foi dia de festa para uma das mais tradicionais equipes do jiu-jítsu brasileiro. A Família Abi-Rihan, comandada pelo mestre faixa-preta 4º grau Raphael Ab-Rihan, está de casa nova. São 150m² de tatame olímpico na "Toca dos Cachorros", como é carinhosamente chamado o centro de treinamento que fica no Clube Monte Líbano, na Zona Sul do Rio. E para uma reinauguração desse porte, nada mais justo do que reunir nomes que marcaram a história do jiu-jítsu. Reyson Gracie, Álvaro Barreto, Caíque, Zezão, Manimal, Carlson Gracie Jr., Amaury Bitetti, Rodrigo Comprido, Ary Galo, Cleiber Maia, Helvécio Penna, entre outros, foram alguns dos nomes que prestigiaram a reinauguração do AR-Dojo. O judoca João Gabriel Schlittler, que disputou as Olimpíadas de Pequim, também marcou presença. Ao todo, cerca de 180 pessoas, quase todas devidamente trajadas de kimono, participaram da reinauguração oficial.

- O mais legal disso tudo é saber que eu consegui reunir professores e lutadores de várias equipes distintas no dojo da Família Abi-Rihan. O nosso esporte sempre foi marginalizado e desde de pequeno eu escolhi lutar contra isso, contra essa cultura de "creonte" (inimigo), de não poder treinar junto com pessoas de outras academias porque vai lutar com elas depois. Então, acho que a maior mensagem que a gente pode levar hoje daqui, é que o jiu-jítsu é muito mais forte do que esses paradigmas que a gente segurou durante muito tempo. Me sinto vitorioso de reunir todas essas escolas, não só a linhagem a qual eu pertenço. Apesar de eu sempre seguir e defender a Carlson Gracie e meu mestre Manimal, a Família Abi-Rihan é uma equipe independente. Podem considerar a "Toca dos Cachorros" como um campo neutro. Vocês todos têm convite vitalício para virem treinar aqui quando quiserem - disse Abi-Rihan, que durante o evento aproveitou para graduar, excepcionalmente, dois alunos à faixa-azul e um à faixa marrom.

Depois da cerimônia, o tatame foi aberto para treino livre a quem quisesse experimentar as novas instalações. Mais de vinte duplas se embolaram no amplo dojô, e entre elas estava Abi-Rihan, que fez questão de convidar seu amigo Carlson Gracie Jr. para um treininho.

Abi-Rihan dá aulas no clube Monte Líbano há 13 anos e esta é a maior das quatro reformas pelas quais o espaço já passou. Atualmente, o AR-Dojo tem cerca de 250 alunos, contando as aulas de muay thay, judô e capoeira. Mas o carro chefe da academia é realmente o jiu-jítsu, que tem aproximadamente 180 alunos. Com a ampliação do espaço, novos horários serão abertos e a expectativa é que número de alunos chegue a 300 ainda esse ano.

O jiu-jítsu entrou na vida da Abi-Rihan em 1988, aos 7 anos, com o professor Kiko Veloso. Graduado à faixa preta em 2002 pelo mestre Luiz Carlos Manimal, Abi-Rihan sempre foi aluno e atleta da equipe Carlson Gracie, uma das maiores fábricas de talentos que o jiu-jítsu já produziu. O título mais importante da carreira veio em 2016, no Mundial Masters, em Las Vegas (EUA), quando venceu cinco lutas e sagrou-se campeão na categoria meio-pesado. Além disso, o atleta é campeão europeu (2007), tricampeão brasileiro (2009, 2014, 2015), pentacampeão estadual (2002, 2004, 2006, 2007, 2009) e conquistou a medalha de prata no Brasileiro de Equipes (2016), no Mundial (2015), no World Pro (2014). 

Terra


Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário