Audiência decide por fim do monopólio de bebidas


(Foto: Reprodução/Google)

Com a proximidade da Exposição Centro Nordestina de Animais e Produtos
Derivados (Expocrato), autoridades políticas, população, vendedores e organizadores do evento voltaram a debater polêmicas envolvendo preços dos ingressos, os alugueis cobrados pelas barracas, monopolização da bebida e comida, além dos problemas na estrutura física do local. Parte do que foi debatido será aplicado na edição da festa em 2018.

O presidente da Câmara Municipal de Crato, Florisval Coriolano, considera que a audiência pública foi proveitosa e citou o fim do monopólio da bebida dentro do Parque de Exposição Pedro Felício Cavalcante, após discussão na Casa, que vai ser aplicado já neste ano. Para o próximo, ele acrescenta que o valor do aluguel cobrado pelas barracas
e pelos ingressos está sendo negociado.

Apesar de justificar que o monopólio de bebidas era uma prática comum em festas de exposição pelo Brasil, o representante do Núcleo Gestor da Expocrato, Leitão Moura, confirma que já está sendo providenciada a diversidade de sua comercialização na festa. Com relação a outras demandas, o gestor ressalta que parte delas já estava incorporada no projeto de reforma.

Já os pedidos que não constam no projeto, serão encaminhados ao governo estadual. "Os pedidos serão enviados ao Governo, para que se faça uma avaliação e se tenha um posicionamento. Tem muita especulação em cima das carências da Expocrato. Em 2006, quase não se realizava o evento devido a pouca procura dos comerciantes e criadores de animais. Por causa disso, houve queda na participação dos animais, inclusive na etapa do julgamento dos bichos. Conseguimos reverter à situação e a festa voltou a crescer. Mas ainda precisamos de melhorias, claro", conta Leitão.

Sobre a mudança da exposição para a terceira do mês de julho, ele explicou que não partiu da administração da festa. "Tem mais a ver com a época em que os animais têm filhotes. Falamos com os criadores dos bichos, mas eles disseram que não participariam, caso seja na segunda semana, pois as fêmeas ainda estariam prenhas. Então, pedimos desculpas à população, mas teremos que manter na terceira por motivos de participação dos criadores", finalizou.

O deputado estadual Manoel Santana Neto afirmou que há verba para uma grande reforma no parque e vontade política do governador Camilo Santana. Ele disse que as novas demandas serão encaminhadas ao governo estadual, que depois vai planejar audiências com os
atores envolvidos na festa. "De forma democrática, deve-se criar um projeto de reforma para o Parque de Exposição Pedro Felício
Cavalcante", finalizou.

Jornal do Cariri

Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário