Obras paralisadas e contas em atraso preocupam nova equipe gestora


Apesar das dificuldades encontradas no início da gestão, o prefeito diz apostar na equipe que montou para trabalhar na administração do município. (Foto: Guto Vital/Agência Miséria)

Após os primeiros dias de trabalho ao assumir a administração da cidade de Milagres, o prefeito eleito Lielson Macedo Landim (PDT), 40, recebeu a TV Miséria em seu gabinete para falar sobre como foi entregue o município pela gestão anterior. Landim destacou a situação do lixo ainda sem coleta adequada e os salários atrasados dos servidores como principais desafios iniciais. 

A chapa de Lielson foi eleita pela coligação "Mudar milagres, eu vou!", com 9.312 votos, tendo como vice-prefeito Vitor Abraão Sampaio (PSB), 33.  

A primeira medida divulgada pelo prefeito é a reformulação da lei que cria cargos no município. Com isso, as 15 secretarias que atuavam na gestão passada agora serão diminuídas para 12, sendo 11 nomeadas. A redução dos cargos comissionados e o reajuste salarial de funcionários, que até então recebem abaixo do mínimo, também serão revistos. 

A situação das escolas públicas do município foi o destaque dado pelo prefeito ao falar sobre como recebeu a cidade durante a transição. Segundo relata, o início das aulas deverá ser adiado para o mês de março para que as reformas sejam finalizadas via licitação e as salas possam ser utilizadas. 

Antes de anunciar novas obras em Milagres, a nova gestão dará prioridade às obras inacabadas durante gestão passadas, como por exemplo, uma escola contendo 12 salas de aula no Sítio Taboquinha, paralisada há dois anos. 

Apesar das dificuldades encontradas no início da gestão, o prefeito diz apostar na equipe que montou para trabalhar na administração do município.

Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário