Sinalização das estradas é regular, ruim ou péssima em 45% do Ceará


No Ceará, duas em cada três estradas têm situação regular, ruim ou péssima, afirma CNT (Foto: Rede Globo)


A sinalização nas estradas cearenses teve avaliação regular, ruim ou péssima em 45,8% da extensão, segundo a mais recente pesquisa Confederação Nacional do Transporte (CNT) de Rodovias 2016. Ao todo, foram avaliados 3.525 quilômetros no estado. O levantamento também considera o estado geral, pavimento e geometria da via.

Ainda quanto à sinalização, ótimo teve o menor percentual (1,4%); boa (52,8%); regular (28,9%), ruim (13%) e péssima (3,9%) foram as outras avaliações.

Sobre o estado geral, a avaliação como regular foi maioria (36,6%); ótima (2,7%); boa (32,9%);  ruim (24,2%) e péssima (3,6%).

Quanto ao pavimento, a condição das estradas foi considerada regular na maior parte do estado (47,1%). As demais avaliações foram ótima (39,3%); boa (2,6%) ruim (7,9%) e péssima (3,1%).

Já sobre a geometria da via, péssima (41,1%) foi a classificação da maioria das estradas cearenses. Os demais quilômetros tiveram avaliação ótima (2,8%), boa (11,3%), regular (23,9%) e ruim (20,9%).

A pesquisa tem como objetivo principal apontar as características, deficiências e necessidades de melhoria da infraestrutura das rodovias do Brasil por meio de avaliação das variáveis pavimento, sinalização e geometria da via.

Em 2016, a extensão total pesquisada foi de 103.259 quilômetros, abrangendo toda a malha rodoviária federal e as principais rodovias estaduais pavimentadas do país.

Características

No Ceará, 91,7% da extensão das estradas é de pista simples de mão dupla (3.236 km), enquanto apenas 7% (245 km) são de pista dupla com canteiro central. As demais variáveis foram pista dupla com barreira central (0,3%), pista dupla com faixa central (0,5%) e pista simples de mão única (0,5%).

A condição da superfície do pavimento estava desgastada em 65,8% e perfeita em 21,4%. Quanto à condição da faixa central, a maioria das estradas tinha pintura da faixa visível (71,3%), desgastada (27,4%) e inexistente (1,3%).

Estradas do país

De acordo com a CNT, a Confederação Nacional de Transporte, as regiões Norte e Nordeste têm as piores estradas do país.

No último levantamento da CNT, foram analisadas as estradas de 138 países. No quesito qualidade de infraestrutura rodoviária, o Brasil ficou no 111º lugar, atrás do Chile (30º), do Uruguai (98º) e da Argentina (103º).

O levantamento mostra também que apenas 12,3% das rodovias brasileiras são pavimentadas. E 58,2% apresentam algum tipo de problema, seja no traçado, na sinalização ou no asfalto.

Desse total, 34,6% são consideradas em estado regular; 17,3%, ruins; e 6,3%; péssimas.

O Ministério dos Transportes informou que apenas 13% das rodovias federais não são pavimentadas. Sobre a pesquisa, o ministério disse que a CNT aponta uma melhora nos números da malha federal. E que ano que vem o orçamento disponível para o Ministério dos Transportes vai ser de R$ 11,5 bilhões, quase R$ 1 bilhão a mais do que este ano.

Fonte: G1


Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário