Família morta em chacina é cremada na Espanha, diz irmão de vítima


Corpos de Marcos, Janaína e dos dois filhos foram cremados nesta sexta (Foto: Reprodução/Facebook)


Foram cremados na manhã desta sexta-feira (23) os quatro brasileiros vítimas da chacina de Pioz, na Espanha, mais de três meses depois dos corpos terem sido encontrados. Walfran Campos, irmão de Marcos Campos Nogueira, confirmou que além do irmão, Janaína Américo e as crianças Davi e Maria Carolina tiveram seus corpos cremados em uma funerária em Guadalajara, na Espanha. Os corpos ficaram no crematório esse tempo aguardando o fim de todo o trabalho de perícia e liberação da justiça.

Janaína Santos, Marcos Nogueira e os dois filhos, de 1 e 3 anos, foram encontrados mortos e esquartejados no dia 19 de setembro, na casa onde eles moravam, a cerca de 60 km de Madri. O sobrinho de Marcos, Patrick Gouveia, confessou o crime da família e declarou que matou os quatro porque "achou" cruel matar apenas o tio.

Os corpos da família paraibana assassinada tinham sido liberados pela justiça espanhola na terça-feira (20). A expectativa da família Campos é de que as urnas com as cinzas dos familiares sejam liberadas para repatriação na ainda tarde desta sexta-feira.

"Estamos dependendo da expedição das certidões de óbito por parte do consulado brasileiro na Espanha para que as urnas com as cinzas sejam levadas para uma empresa de aviação e trazidas finalmente para nós. Caso o nosso advogado na Espanha não consiga a documentação com o consulado, as urnas só devem ser enviadas na segunda-feira [26]", comentou Walfran Campos. Ainda segundo o irmão do pai da família vítima da chacina, a cerimônia fúnebre em João Pessoa deve acontecer no Parque das Acácias, no bairro do José Américo.

Ainda de acordo com o parente das vítimas, a repatriação das cinzas ajuda a diminuir o sofrimento da família, que esperou por mais de três meses para ter condições de prestar homenagens aos parentes mortos na chacina. "Estávamos esperando muito pela liberação e o mínimo que poderíamos fazer era uma cerimônia para encerrarmos o nosso luto. Ficamos aliviados pela liberação, mas muito tristes por saber que não veremos mais eles", lamentou Walfran Campos.

Crime narrado pelo WhatsApp

Patrick Gouveia teria recebido "dicas" do amigo Marvin através do WhatsApp. O jovem de 18 anos foi preso no bairro Jardim Oceania, em João Pessoa, no dia 28 de outubro. Segundo o delegado de homicídios Reinaldo Nóbrega, o estudante Marvin Henriques Correia chegou a receber fotos e manter uma conversa em tempo real com Patrick Gouveia, que confessou ter cometido a chacina em Pioz.

Marvin Henriques foi solto no dia 30 de novembro e vai responder ao processo em liberdade, cumprindo medidas cautelares, como usar tornozeleira eletrônica, ficar recolhido em casa todos os dias das 22h às 6h (horário local) e comparecer mensalmente em cartório.

Já Patrick Gouveia, responsável por matar e esquartejar a família de Marcos Nogueira e Janaína Santos, foi preso no dia 21 de outubro e encaminhado ao presídio de Alcalá Meco, mas foi transferido ao presídio de Estremera, na província de Madri, pois estaria sendo ameaçado de morto pelos detentos latino-americanos.

Segundo o jovem, não foi a primeira vez que ele sentiu vontade de matar alguém. "Três dias antes [do crime], senti a necessidade de matar. Isso acontece muitas vezes, desde os 12 anos. Quando isso acontece, eu bebo muito", declarou o jovem em depoimento.

Reconstituição do crime

Tio de Patrick e irmão de Marcos, Walfran Campos acompanhou do lado de fora da casa a reconstituição do crime, que foi realizada no dia 26 de outubro. "Ele [Patrick] não mostra nenhum tipo de arrependimento, ele está super calado, frio. Em todos os depoimentos dele, é centrado, tranquilo. E isso até assusta a polícia pelo fato de ele não mostrar remorso", declarou.

Patrick, sobrinho de Marcos Nogueira, se entregou voluntariamente à polícia espanhola no dia 19 de outubro e confessou o crime dois dias depois.

Entenda o caso

Os corpos de Janaína, Marcos e das duas crianças foram achados esquartejados em uma casa na cidade espanhola de Pioz em setembro, depois que um vizinho alertou sobre o mal cheiro perto da casa da família.

Após o início das investigações, a Justiça emitiu uma ordem de prisão europeia e internacional contra Patrick, que é sobrinho de Marcos, mas até então o suspeito ainda não havia recebido nenhuma notificação sobre o mandado de prisão no Brasil.

Ele resolveu se entregar após o advogado dele, Eduardo de Araújo, voltar para o Brasil e explicar à família os detalhes do processo. O advogado informou que Patrick acredita poder se defender melhor das acusações na Espanha.

Fonte: G1


Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário