Violação de dados tem custo médio de R$ 4,3 milhões no Brasil

O custo médio por perda ou roubo de dados nas empresas do Brasil cresceu significativamente no passado recente, passando de R$ 175 para R$ 225. Assim, em média, os danos organizacionais causados pelos ataques passaram de R$ 3,96 milhões para R$ 4,31 milhões no mesmo período, revela a edição mais recente do "IBM X-Force – Cost of Data Breach", que indagou 33 companhias brasileiras em 12 diferentes setores.

"Os ataques maliciosos foram a causa primária das violações, e as mais caras", apontou a pesquisa, indicando que 40% dos incidentes envolveram um ataque criminoso. Funcionários ou contratantes negligentes representaram 30% de todas as violações e falhas do sistema são responsáveis por outros 30% de todas as violações de dados. Segundo o estudo, erros humanos ou negligência custam, em média, R$ 200 para os cofres das empresas.

As empresas que sofreram um incidente malicioso tiveram um custo de violação de dados per capita de R$ 256. As companhias que experimentaram falhas de sistema tiveram um custo médio de R$ 211. Quanto maior o volume de dados perdidos, maior os custos envolvidos.

Segundo a IBM, quem vivenciou uma violação de dados envolvendo menos do que 10 mil registros amargou um prejuízo médio de R$ 1,88 milhão e dados violados envolvendo 50 mil ou mais registros tiveram perdas de R$ 6,95 milhões.

Os gastos com detecção (atividades investigativas e forenses, serviços de auditoria e avaliação, gerenciamento de crise e comunicação para o board de executivos e diretores) também cresceram de R$ 1,09 milhão em 2015 para R$ 1,29 milhão em 2016.

A média de negócios perdidos por organizações ocasionados por esse tipo de incidentes aumentou de R$ 1,53 milhão, em 2015, para R$ 1,57 milhão, em 2016. O estudo revela ainda que, nos últimos quatro anos, o uso expandido de criptografia aumentou 22%. Já o fortalecimento dos controles de perímetro e o uso sistemas de inteligência de segurança aumentaram em 21%.

Fonte: Convergência Digital
Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário