AMAJU sugere solução conjunta para os lixões nos municípios do Triângulo Crajubar

O Superintendente da AMAJU (Autarquia do Meio Ambiente de Juazeiro do Norte), Eraldo Oliveira, voltou a provocar os prefeitos dos municípios que formam o Triângulo Crajubar no sentido de buscarem solução conjunta relacionada com a criação de um aterro consorciado. Segundo ele, esse problema pode ser resolvido por aqui abolindo idéias que venham de cima para baixo. Como explicou, seria a constituição de uma proposta dentro do que os municípios podem e as contrapartidas dos governos estadual e federal.

Ainda de acordo com Eraldo, não se faz consórcios para dividir lucros e sim com a intenção de otimizar estruturas e solucionar os problemas sem onerar os cofres públicos quando os prefeitos das três cidades devem sentar com os seus técnicos em nome do consórcio Crajubar. Disse mais que a intenção é encontrar saídas com responsabilidade e sem comprometer os futuros governos nestes municípios.

Recentemente, ele participou de reunião com o Secretário Adjunto das Cidades, Quintino Vieira, e notou a disposição do estado em retomar a conversa sobre o consórcio já que, no governo passado, não evoluiu. Todavia, observou que a proposta apresentada de uma PPP (Parceria Público Privada) não atende as necessidades de Juazeiro da forma como se pretende, mas disse que será analisada. Segundo o Superintendente da AMAJU nada inviabiliza as conversações já iniciadas com uma empresa alemã neste sentido.

Assessoria de Imprensa
Share on Google Plus

About Fagner Soares

0 comentários:

Postar um comentário